Tipos de navios Mercantes

Este é um artigo um pouco diferente dos que fiz até agora. Decidi escrevê-lo pois, muitas vezes, pessoas que não estão dentro de assuntos relacionados com a marinha mercante, perguntam-me pelas diferenças entre cada um dos navios mercantes. Decidi então abordar os navios que considero mais relevantes.

Existem diversos navios de acordo com a sua função:

Navios Porta contentores:
Este tipo de navios surgiu com a técnica da conteinerização, em que a carga é posta em contentores, que por sua vez são “arrumados” no convés. Esta técnica permite poupar tempo e espaço, visto que a grua apenas tem de levantar os contentores dos camiões e colocá-los no navio, em vez de serem pessoas a retirar manualmente a carga e a arruma-la . A ideia de ter a carga em contentores surgiu quando um camionista, Malcom P. McLean, farto de esperar pela descarga e carga de mercadorias do seu camião, se lembrou que era fantástico que fosse possível conseguir pegar no atrelado do seu camião e meter essa “caixa” assim no navio.

Navios Graneleiros:
São navios que transportam a carga a granel, isto é, “à solta” no porão. Para render a nível económico, as mercadorias são transportadas em grandes quantidades e podem ser, por exemplo, milho, cereais, minerais, etc…
Hoje em dia estão a ser testadas, em três navios, pipas (velas semelhantes às usadas em kitesurf) para servirem de sistemas de propulsão com fim de reduzir as emissões de CO2. Este método permite reduzir até 30%, em boas condições climatéricas, as ditas emissões.

 

Navios tanque, entre eles existem:
Navios tanque químicos:
Os navios tanque químicos, são os que têm a mais avançada tecnologia, comparativamente a outros, devido a natureza dos produtos por si transportados. Estes navios transportam diversos produtos químicos em estado líquido dentro dos seus tanques, que podem ser, por exemplo, produtos petroquímicos, produtos de alcatrão de carvão, derivados de hidratos de carbono, óleos de origem vegetal ou animal, químicos pesados, etc…
No que toca a segurança, estes navios são distinguidos em três tipos:
• Navio de tipo I – substancias perigosas com efeitos graves além das proximidades do navio;
• Navio de tipo II – substancias perigosas com efeitos graves nas proximidades do navio;
• Navio de Tipo III – substancias menos perigosas para o meio ambiente.

Navios tanque petroleiros:
Transportam o petróleo tanto em estado bruto, o crude, como os seus derivados, como gasolina e diesel.

 

Navios tanque de transporte de Gás liquefeito:
São os navios destinados ao transporte de gases liquefeitos. Caracterizam-se por apresentarem um convés principal coberto de tanques típicos de formato arredondado.

Navios de carga geral:
Como o próprio nome indica transportam todo o tipo de cargas. Perderam parte da sua presença no mercado para os navios porta contentores.

Navio Ferry:
Também conhecidos como Ro-ro (Roll-on/roll-off), são os navios em que a mercadoria entra e sai sobre rodas, ou seja, os que transportam veículos. Podem ser, por exemplo, os que fazem travessias de rios com os veículos juntamente com os seus passageiros, ou os que fazem transporte destes de um país para outro, com a finalidade de os comercializar.

Existem 13 tipos principais de ferries, que incluem mas não se limitam a: ferry hovercraft, ferry ro-ro (roll on – roll off), ferry catamaran, ferry cruzeiro, ferry de pé (que apenas transporta passageiros que passam a viagem de pé), ferry de comboios (que transporta carruagens de comboios), etc…

Existem também navios que dão apoio a outros navios:

Tugboat (rebocadores):
São navios de apoio a outros navios. Tanto podem ajudar navios a entrar em áreas restritas, rebocar, apagar incêndios, partir gelo,  etc…
Curiosidade: O Edward J Moran, um dos mais poderosos rebocadores do mundo, consegue atingir os 14 nós e tem a capacidade de gerar 6500 cavalos quando a rebocar, mais do dobro de muitos rebocadores de rotina

Navios de passageiros:

Cruzeiros:
São os navios de passageiros em que o propósito da viagem é o lazer. A bordo destes navios há inúmeras atrações e, dependendo do navio, até pode parecer que estamos numa cidade sobre o mar.
O maior cruzeiro dos dias de hoje é o Harmony of the Seas, com um comprimento 362 m (a torre Eiffel tem 300 m) e 70 m de altura, o que é equivalente a mais ou menos 16 andares.

Veleiros:
Um veleiro e uma embarcação que é movida através do velame (conjunte de velas). Hoje em dia, são maioritariamente utilizados para lazer e turismo.

 

 

Navios de pesca:

Tanto podem ser pequenos barquinhos que servem para fazer a conhecida pesca rudimentar, como gigantes navios equipados com alta tecnologia para fazer pesca ao nível industrial.

Devido à sua diferente natureza operacional, os navios de pesca dispões de regulamentações diferentes dos outros navios no que toca à segurança e obrigações da sua tripulação.

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *