Porto de Sines e Rebocadores

Foi no âmbito da disciplina de Química-Física que fizemos esta visita de estudo, ao Porto de Sines, pois este é o porto que mais carga movimenta em Portugal.  Mais de 50% da carga movimentada nacionalmente por via marítima passa por lá. No que toca a produtos energéticos, os números são ainda maiores sendo de 74%.

Devido a sua localização estratégica e águas profundas (28m), está aberto a receber todos os tipos de navios e movimentar qualquer tipo de carga. Sines esta no TOP 100 mundial de terminais de contentores.

No início da nossa visita foi-nos dada uma palestra acerca do porto onde nos asseguraram que iriam continuar a apostar na sua expansão e competitividade. De seguida fizemos uma visita de autocarro ao porto para ver cada um dos seus terminais.

Apesar de a parte da manhã da nossa visita ter sido bastante interessante, a melhor parte da visita foi a seguir ao almoço, quando nos deram a possibilidade de visitar um dois dos rebocadores mais potentes que existem a nível nacional. Os rebocadores são navios bastante potentes que têm como função, como o próprio nome indica, rebocar outros navios quando estes estão avariados ou para ajudar em manobras, mas não só. Estes navios também podem servir de combate a incêndios e para outros tipos de apoio.

Na visita ao rebocador começámos pela casa da máquina, onde nos informaram que o motor do rebocador tem 5000cv e é da Rolls Royce. De seguida subimos para visitar as acomodações da tripulação.Quando chegámos à ponte, os membros da tripulação explicaram-nos onde se encontravam todos os equipamentos e como manobrar o navio.

[easingslider id=”1382″]

Foi dada a todos nós a oportunidade de manobrar o rebocador, e claro que quando chegou a minha vez eu adorei. Os rebocadores são bastante manobráveis, por isso consegue-se rodar em torno de 360º e passar a andar à ré (para trás) em pouco tempo.

No fim da visita ainda visitámos o quartel dos bombeiros e o VTS do porto.

 

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *