O meu primeiro embarque como praticante:

O artigo de hoje é sobre o meu primeiro embarque como praticante.

Eu acabei o curso em Julho e, após algum tempo de procura, fui aceite pela empresa Mutualista Açoreana transportes marítimos SA, pertencente ao grupo Bensaude.

A mutualista é uma empresa com mais de 90 anos de experiência, que faz a ligação marítima de carga geral e contentorizada entre o continente e as ilhas dos Açores.

Atualmente opera com dois navios: O corvo, onde estive embarcada, e o Furnas.

Primeiras impressões:

Embarquei no dia 21 de Novembro por volta das 1100.

No início estava um pouco receosa porque iria ser o meu primeiro emprego como praticante de piloto e apesar de já ter algumas ideias, ainda não sabia ao certo quais seriam as minhas funções a bordo.

Considero que numa fase inicial, o mais importante é habituarmos-mos ao navio em si. Uma vez que a bordo tanto os nossos horários, hábitos e até a alimentação mudam.

Tempo de aprendizagem:

Depois de me habituar ao navio é tempo de ir começando a aprender as minhas funções.

Este trabalho é diferente porque não é como se tivéssemos um manual que explicasse o que devemos ou não fazer. A experiência de cada praticante varia de pessoa para pessoa, de navio para navio e também com a tripulação que existe naquele preciso momento a bordo.

Neste navio haviam dois praticantes de pilotagem, e cada um faz quartos diferentes.

Enquanto era a praticante mais nova, quando estava a navegar fazia o quarto com o Imediato das 0400 até as 0800 e depois das 1600 às 2000.

Nos quartos de navegação a nossa função é assegurar que o navio chega ao próximo porto da forma mais segura e rápida.

Além de fazer o quarto de navegação, acompanhava o Imediato à ronda dos frigoríficos, para confirmar se as temperaturas estão corretas e se não existe nenhum problema com os mesmos.

Quando estava em porto à carga e descarga, trabalhava das 1500 às 1900. Durante este período a minha função era controlar a carga que entrava e saía, acompanhar o lastro e deslastro do navio e fazer algumas ordens de trabalho (OTs) que existam para fazer.

Também temos de ajudar na manobra, podendo estar no controlo dos guinchos a virar (puxar para dentro) e arriar (mandar para fora) os cabos, ou ajudar o marinheiro a organizá-los.

Enquanto fui a praticante mais velha, fiz os quartos de navegação com o Cte. das 0800 às 1200 e das 2000 às 2400. Em porto tinha o mesmo horário.  

Eu fiz cerca de um mês e meio de embarque e estou agora de férias.

Características do navio Corvo:

  • MMSI: 204709000
  • IMO: 9381275
  • Bandeira: Portuguesa (PT)
  • Porte Bruto: 8893t
  • Indicativo: CSBH
  • Comprimento (LOA): 119,8m
  • Ano de construção: 2007
  • Tonelagem Bruta: 7064

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *