Aparelhos de Estiva- Descubra quais são!

O artigo de hoje é sobre aparelhos de estiva! Neste artigo irei falar de alguns dos aparelhos utilizados e das suas finalidades.

Para que as cargas possam ser embarcadas e desembarcadas, necessitam de aparelhos de ligação entre a mercadoria e os aparelhos de carga.

A operação que envolve a ligação das mercadorias aos aparelhos de carga tem o nome de lingagem.

Existem diversos materiais de lingagem que variam de acordo com a carga a carregar.

Estropo de massa:

É um cabo de massa (fibra de massa ou sintético) utilizado para volumes não muito pesados e de média dimensão.

Exemplos de carga: fardos, caixas, grades, sacos, paletes, etc…

Podem-se usar simples ou dobrados.

 

Estropos de arame:

Idênticos aos estropos de massa, mas mais resistentes ao peso.

Os estropos de arame têm mais facilidade a danificar as cargas. Por essa razão implicam um maior cuidado e atenção para proteger as cargas.

Lingas:

Tipicamente uma corrente de elos curtos, com um anel argolão num chicote e um gato (tipo de gancho) no outro.

Exemplos de carga: chapas de aço, barras, cantoneiras, perfilados e outros produtos pesados como toros de madeira, etc…

Patolas:

Peças de ferro recurvadas de forma a permitir o engate dos volumes a movimentar.

Estas peças são geralmente ligadas a lingas de corrente ou a estropos de arame.

São tipicamente utilizadas no manuseamento de tambores e barris.

 

Redes de carga:

Entrelaçado de cargas de massa, arame ou fibra, de forma quadrada, destinada a lingar carga miúda.

A malha da rede pode ser mais larga ou mais estreita, dependendo do objetivo.

Usada para lingar cartões, caixas pequenas, tambores pequenos, sacos pequenos, etc…

Não se devem misturar diferentes tipos de embalagens na mesma lingada.

Cintas:

São fitas de nylon, bastante resistentes.

Utilizam-se nas cargas pré-lingadas, bobines de papel, fardos, paletes, etc…

Há cintas mais largas que as convencionais para movimentação de outros tipos de cargas.

Aparelhos de paletes:

São aparelhos constituídos por estropos de arame com travessões em aço ou estruturas metálicas que encaixam nas paletas.

Pinças:

Ferramentas constituídas por duas e mais peças móveis, através das quais os volumes são agarrados e comprimidos.

Utilizam-se para manusear rolos de papel, toros de madeira, tambores, pedras.

Tesouras:

Ferramentas constituídas por duas peças moveis, através das quais os volumes são fixados por compressão.

Utilizam-se no manuseamento de chapas de aço.

Grifas:

Ferramentas formadas por duas peças pontiagudas curvas, através das quais os volumes são fixados por compressão.

Utilizam-se no manuseamento de mercadorias como caixas de madeira, rolos de papel, etc…

Aparelhos de manuseamento de veículos:

São constituídos por estropos de arame com travessões, com espuma ou com redes, para o apoio das rodas dos veículos.

Utilizam-se disparadores e spreaders para evitar que os estropos causem danos nos veículos.

Espero que tenham gostado! 😀

Se conhecerem mais algum podem deixar nos comentários.

1 comentário

  • Seria interessante e…provavelmente útil se, por exwxemplo, se debruçasse sobre peamento ou peação de cargas: carga geral, contentores, veículos os mais diversos. Saberá que a tão mal amada carga geral é dos problemas que maior se põe a bordo e em viagem; hoje em dia parece que o assunto dominante são os navios de contentores; mas…e os outros? carga geral, ganeis secos e líquidos, gases liquefeitos, ro-ro (só carga), ro-ro pax, passageiros, etc.

    b noite…e boa sorte!
    PS: não se enerve com os “navios autónomos” que, quando começarem a aparecer, irão coexistir com todos os milhares de navios existentes com tripulação a bordo. Penso que a sua geração e muito provavelmente a próxima nada terão a temer: palavra de velho marinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *