Navegar em visibilidade reduzida- Nevoeiro

Navegar em visibilidade reduzida é uma das situações mais perigosas no mar.

A visibilidade reduzida é maioritariamente causada por nevoeiro, no entanto, esta pode ser provocada por chuvas fortes, neve, granizo, etc…

Esta pode ir de parcialmente reduzida a nula.

Com nevoeiro é muito difícil sabermos a que velocidade e rumo a outra embarcação navega, o que aumenta exponencialmente o risco de colisão.

A importância da prevenção:

Antes de proceder à saída de mar o navegador deve ter em consideração as condições meteorológicas.

Se tivermos apenas uma pequena embarcação de lazer, o recomendado será escolher outro dia para fazer a sua saída de mar. Já com navios mercantes isso não pode acontecer.

Se tiver um navio de lazer e o nevoeiro começar quando já se encontra a navegar tem de seguir os cuidados seguintes.

Cuidados a ter com visibilidade reduzida:

• Marcar a nossa posição na carta náutica.
• Confirmar várias vezes a posição do navio, se possível sem recorrer apenas ao GPS, nem marcar apenas na carta eletrónica. Se estes falharem, em visibilidade reduzida, é provável que se desoriente.
• Ligar as luzes de navegação e usar os sinais sonoros indicados
• Nas embarcações de propulsão mecânica, ter a máquina pronta a manobrar.
• Ter vigia reforçada.
• Caso a embarcação tenha radar, este pode ser um grande aliado.

A nossa embarcação deve estar equipada com refletores de radar para ajudar os radares a detetarem a nossa embarcação.

Regulamentação:

É a COLREG (RIEM em português) que define as regras, funcionando como um código da estrada, mas para o mar. Estas regras devem ser cumpridas por todos os navios.

Para a navegação em visibilidade reduzida existe a regra 19, que dita que nestas condições todas as embarcações têm responsabilidade de manobrar de forma a evitar o abalroamento.

Todos os navios devem navegar a uma velocidade de segurança, de forma a que não se chegue a perder capacidade de manobra.

Como manobrar?

A manobra deve ser de feita de acordo com a localização do alvo relativamente ao nosso navio. Retirei a seguinte imagem da minha sebenta, para demonstra como se deve proceder a manobra.

 

Espero que tenham gostado! 😉

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *