O erro Humano

O artigo de hoje é sobre o erro humano.

Cerca de 80% de tudo o que consumimos é transportado por via marítima, por essa razão, no oceano circulam milhares e milhares de navios todos eles em risco de incidentes.

Contudo os acidentes causados por fenómenos naturais, como tempestades, ventos e correntes fortes são os que ocorrem com menos frequência.

O erro humano é responsável por mais de 90% dos acidentes que ocorrem no mar. Dentro dos acidentes causados pelo erro humano encontram-se colisões, incêndios, encalhes, etc…

Erro Humano

O erro humano normalmente não ocorre por apenas um erro de uma só pessoa, mas sim a junção de diversos problemas que se vão acumulando até ao culminar do acidente.

Há quem distinga o erro no projeto do navio, do erro cometido por um marítimo. No entanto, ambos são causados por algum descuido ou falta de formação da pessoa causadora do incidente.

Perceção- Pensar- Tomar decisão:

Na ponte de um navio, os oficias da ponte são bombardeados com diversas informações, e estes tem de conseguir filtrar as mais importantes para manter a segurança no navio.

A experiência tem um papel importante na tomada de decisão.

Pode ser bom ter experiencia na medida em que ajuda a solucionar um problema com características semelhantes a uma experiencia passada.

Por outro lado, pode fazer com que tomemos uma decisão errada no presente, por confiarmos em experiencias passadas ignorando as suas diferenças.

O que causa o erro humano:

Hoje em dia muitos dos equipamentos já são automáticos, por isso, seria de esperar que os acidentes deixassem de acontecer.

No entanto, as máquinas cada vez mais autónomas, levam a que os trabalhadores fiquem complacentes, levando a comportamentos de risco.

Existem várias situações que causam o erro humano, entre elas existem:

Fadiga:

Muitas das vezes os marítimos não cumprem com o número de horas de descanso, fazendo com que estes não se encontrem nas melhores condições para exercer o seu trabalho.

Falta de manutenção:

Muitas das vezes os proprietários não fazem a correta manutenção dos seus navios, levando a que estes se deteriorem.

Falha de comunicação:

Uma pessoa que faz um quarto (turno) não explica corretamente a quem o substitui a situação atual, levando a perda de dados importantes.

Falta de conhecimentos:

Alguns marítimos são escolhidos por serem mais baratos, não tendo em grande maioria a formação adequada.

Doença:

Quando uma pessoa não se esta a sentir bem deverá informar os seus colegas de forma a não por em risco a segurança do navio e de todos nele embarcados.

Falta de Cultura de Segurança:

As pessoas fazem o que é mais fácil em vez de fazer o que realmente é correto, ignorando procedimentos de segurança.

Excesso de trabalho:

Quando a pessoa tem mais trabalho do que tempo para o executar.

Em conclusão o mais importante é a postura no trabalho. Esta deverá ser de máxima atenção, tendo em conta todos os cenários possíveis. Também igualmente importante é o trabalho de equipa, pois uma má comunicação e falta de cooperação poderá levar a erros catastróficos.

Poderá ver mais artigos da categoria em Curiosidades! 😉

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *