O Código Polar

No artigo de hoje irei falar do que é o código polar e qual a sua finalidade.

Sempre existiram navios a navegar nas zonas polares, mas o degelo que tem ocorrido nos últimos anos contribuiu para a popularidade das rotas e aumentou o número de navios a navegar nestas zonas. 

Muitas pessoas são contra este tipo de navegação. A IMO (International Maritime organization) não quis dar a sua opinião acerca desta matéria, tendo dito no entanto que, já que os navios navegam nesta zona, mais vale serem legislados, de forma a proteger os ecossistemas destas zonas. 

O que é o código polar?

O código polar entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2017.

Têm como objetivo legislar tudo o que tenha haver com os navios que navegam em ambos os polos: o design do navio, construção e equipamento, treino da tripulação, operações de resgate e proteção do ambiente e dos seus ecossistemas das regiões polares.

O código obriga os navios a passarem um teste que os irá colocar numa das três categorias:

  • A: Gelo médio
  • B: Gelo fino
  • C: água abertas, condições mais favoráveis que as categorias A e B

Após este teste é passado o certificado de navio polar.

Estes navios têm de ter a bordo um manual de navegação em águas polares, para que o dono do navio e a sua tripulação saibam as capacidades e limitações do seu navio.

Treino dos oficiais de pilotagem:

Desde Julho de 2018 é obrigatório os oficiais dos navios que operam em águas polares, terem uma certificação específica para operarem estes navios.

Esta certificação é necessária uma vez que nos polos a navegação é bastante diferente de outros locais, pelas seguintes razões:

  • Más condições climatéricas;
  • Fracos sistemas de comunicações;
  • As cartas de navegação não são tão precisas como as de outros locais.
  • Os meios de salva vidas têm de ser completamente fechados e haver equipamentos para libertar o navio de gelo.
  • Civilização mais distante.
  • A temperatura ambiente poderá reduzir a eficiência dos diversos componentes do navio.
  • Por serem áreas remotas as operações de resgate são mais difíceis e com custos elevados.

Onde se pode fazer esta formação?

Nas universidades que formam os oficiais da marinha mercante.

A minha faculdade, a ENIDH, começou agora a dar esta formação a oficiais que pretendam fazer esta formação. Caso queiram saber mais sobre a mesma, cliquem aqui.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *