Descubra a história de Ching Shih- Uma das piratas mais bem-sucedidas da história!

Hoje é o dia internacional da mulher, e por isso resolvi escrever um artigo especial.

Quero que saibam que não apoio a pirataria de nenhuma forma, mas achei interessante partilhar que, um dos poucos piratas que conseguiu chegar de facto à reforma era Mulher!

Ching Shih foi uma mulher chinesa que conseguiu passar de ser prostituta a uma poderosa Capitã de frota pirata, ao controlar a conhecida Frota Vermelha.

A Frota Vermelha cresceu sobre o comando dela, fazendo grandes saques e tendo um sistema de negócio organizado.

Passados uns anos, Ching aceitou um acordo com o governo Chinês, que lhe dava perdão pelos seus atos, mas não sem antes negociar para ficar com a riqueza e poder que ganhou como capitã de frota pirata.

Primeiros anos de Vida:

Não se sabe muito sobre a vida de Ching Shih antes de ela se tornar pirata.

Nasceu no ano de 1775 em Guangdong, que é uma província da China. O seu primeiro nome era Shil Xiang Gu.

Ela era uma prostituta que trabalhava no bordel flutuante em Canton.

Como se tornou pirata:

Em 1801, era o pirata Zhèng Yi quem comandava a frota vermelha.

Ele era um membro assíduo do bordel onde trabalhava Ching Shih, e como esta era a sua prostituta favorita, resolveu que queria ficar com ela.

Alguns documentos relatam que ele a escolheu para sua parceira, por já na altura ser conhecida como uma mulher inteligente no que toca a negócios.

Há relatos que dizem que ele mandou os seus homens saquear o bordel e raptá-la. Outros que dizem que ele simplesmente pediu-lhe para ela vir com ele.

Certo é que eles, eventualmente, se casaram com a condição de que ela ficaria com poder dentro da organização dele. Exigiu poder acompanhá-lo no mar e receber a mesma percentagem que ele, dos saques que faziam.

Crescimento da frota vermelha:

Com o passar dos tempos Ching Shih e o seu marido Zhèn Yi, começaram a comandar a frota vermelha em conjunto. A frota vermelha cresceu rapidamente sob o comando de ambos.

Passaram de 200 navios para mais de 600, e mais tarde 1700-1800.

O tipo de navio utilizado pelos chineses, nomeadamente a frota vermelha eram Junks chineses de tamanhos variados. Teriam aparência semelhante ao demonstrado na imagem seguinte.

Os navios principais tinham uma cor vermelha, e as outras eram pretas, brancas, azuis, amarelas e verdes.
A frota formou uma coligação com o pirata Wu Shi’er que ficou conhecida como a Coligação dos Piratas Cantoneses.

Morte de Zhèn Yi e subida ao poder de Ching Shih:

Zhèng Yi morreu em 1807, apenas 6 anos depois de casar com Ching Shih. Na altura da sua morte a frota vermelha contava com 50,000 a 70,000 piratas.

Ching estava decidida a não voltar a uma vida de prostituição!

Sabia que com esforço e determinação se poderia tornar uma poderosa pirata.

Ela poderia ter-se afastado e deixado Chang Pao, que era o segundo no comando e filho adotivo do casal, ser o novo comandante.

Mas Ching Shih quis ser a nova líder da frota vermelha e assim foi, tendo o apoio do filho quando tomou esta decisão.

Disciplina de Ching:

Ching era uma pirata rigorosa e que impunha bastante disciplina. Ela focava-se nos negócios e na estratégia militar.

Ela esforçou-se para criar o seu próprio sistema de governo, que incluíam recompensas e impostos dentro da frota e entre todos os seus membros.

Qualquer tipo de saque tinha de ser apreendido e apresentado à frota para que fosse registado antes de ser distribuído.

Cada navio podia ficar com 20% do que apanharam, indo os restantes 80% para um fundo comunitário da frota que apoiava navios com menos lucros, reparações e construção de novos navios e treino de civis para pirataria.

Ching tinha regras restritas para o tratamento de prisioneiros, especialmente mulheres. As mulheres que eram consideradas feias, eram libertadas sem nenhum inconveniente. As bonitas poderiam ser escolhidas por piratas para casarem com os mesmos, com a condição que estes teriam de ser fiéis e de tomar conta delas.

Tanto violações como infidelidade para com a mulher eram ofensas punidas por morte. Pena de morte era a forma mais comum de castigo na Frota Vermelha para os piratas que não seguissem as regras de Ching.

Os desertores eram capturados e as suas orelhas cortadas. Outros castigos comuns eram esquartejamentos, chicoteamentos e prisão.

Frota vermelha e Marinha Portuguesa:

A frota de Ching Shih controlava muitas vilas costeiras, que depois taxava para que mantivessem proteção e para que os seus navios não fossem atacados.

Estas vilas costeiras estavam localizadas entre Macau (na altura controlado por portugueses) e Canton.

Ching era conhecida como “O terror do sul da china” , uma vez que era considerada inderrotável.

Conseguia vencer a marinha chinesa, portuguesa e a companhia das índias orientais britânicas.

A china pediu a um homem, Bai Ling, que tentasse aniquilar a frota vermelha, mas este sendo incapaz de o fazer com os meios providenciados pelo governo chinês e algum apoio naval dos portugueses, recorreu a negociações.

Ao início não foi possível negociar com a pirata, já que o seu estatuto de inderrotável lhe dava uma vantagem temível, mas, quando a frota preta (uma das ramificações principais da grande frota vermelha), decidiu começar a agir pelos próprios termos e a atacar a frota vermelha, Ching começou a negociar de volta.

A reforma de Ching Shih:

Ching conseguiu um acordo para que todos os piratas sobre o seu comando fossem perdoados e pudessem manter os seus ganhos desse ano, e para si mesma conseguiu ainda manter alguns navios da frota para poder usar para comércio.

Ao todo mais de 17,000 piratas foram perdoados. Relatos contam que após esta reforma da pirataria, Ching abriu uma casa de apostas em Canton e viveu em paz até à sua morte em 1844 com 69 anos de idade.

Espero que tenham gostado! 😉

Crédito de imagem a Tamiart.

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *